segunda-feira, 7 de março de 2011

A Opressão Feminina: Música e Vídeo como Crítica Social

A mulher e a dominação capitalista

A Opressão Feminina: Música e Vídeo como Crítica Social

A opressão feminina possui séculos, bem como a luta contra ela. A sua forma de manifestação na sociedade moderna é caracterizada por um vínculo entre opressão da mulher e capitalismo, ligando exploração do proletariado, luta de classes, ideologias, mercantilização e outros fenômenos correlatos. Uma grande produção bibliográfica já foi produzida sobre esta questão. Porém, além da produção intelectual, teórica ou ideológica, sobre este tema, a produção artística também discute a opressão feminina, sob variadas formas.

Uma dessas formas é a música e, atualmente, a produção de vídeos para o Youtube, também podem assumir um papel importante na luta cultural contra a opressão feminina e outras formas de opressão e exploração. Por isso colocamos abaixo a letra da música "Ela" e, posteriormente, um pequeno vídeo sobre opressão feminina.

A letra da música aponta para o processo de consciência da opressão da mulher e, ao mesmo tempo, a necessidade de não tomá-la isoladamente, como algo que tem história própria, autônoma e independente, pois a opressão feminina é um produto histórico-social e relacionado com a totalidade da sociedade, intimamente relacionada com a sociedade de classes e com a exploração do trabalhador.

 
Ela

Letra: Nildo Viana
Melodia: Edmilson Marques
Quem é ela?
É um ser humano...
Oprimida, reprimida, inibida!
Ofendida, agredida, submetida!

Essa história teve um início
E por isso pode ter um fim
O objetivo é liberdade
Uma totalidade chamada felicidade

Mas no reino do dinheiro e do capital
Há pobres e ricas, aliadas e inimigas
Por isso existem as mulheres reformistas
Por isso o homem é a imagem do mal

Desde o nascimento
O que se faz com ela é doutrinamento
Para a beleza e a mesa
E não para a ação e o enfrentamento

Ela também reproduz o que combate
O homem induz e não aceita empate
Mas eles são diferentes e iguais
Mas elas também são desiguais

A sociedade impede o desenvolvimento
Do seu potencial
Isso provoca o retraimento
E dentro de si gera o mal

Ilusão, destruição e corrupção
Por dentro e por fora
A sombra cresce no seu interior
O que resta é a reprodução e a dor

O sofrimento dela
Gera o sofrimento dele
Alguns deles são responsáveis
Estão “bem” e são execráveis

Ela está presa na torre de um castelo
E não virá nenhum príncipe encantado
Para libertá-la, amá-la, dominá-la
Onde há príncipe, há reinado
Onde um reina, ela é escravizada.

Trocar de castelo é apenas troca
Mudar de posição nenhuma mudança provoca
Só individual e parcial, mesmo sendo rainha
A autolibertação é o que importa

A união entre ele e ela
Sem conflito, opressão e competição
Será possível quando surgir uma nova era
Quando houver transformação, revolução, sexual, social.

Ela é um mistério
Diz um homem sério
Mas não há segredo
O que existe é medo

De saber...
De enfrentar...
De agir...
De mudar...

Esta música pode ser ouvida clicando abaixo:
Ela (2010) - Edmilson Marques

Letra: Nildo Viana

Melodia: Edmilson Marques





Um vídeo sobre a mesma temática e tendo esta música como som de fundo, pode ser acessado abaixo:

Posts Relacionados:


Nenhum comentário:

Postar um comentário