segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Inconsciente Coletivo e Materialismo Histórico, nova edição, revista e ampliada


VIANA, Nildo. Inconsciente Coletivo e Materialismo Histórico. 2a edição, rev. e ampl. Florianópolis: Bookess, 2015.

Texto de apresentação:

O presente livro coloca em discussão o conceito de inconsciente coletivo, elaborado pelo psicanalista Carl Gustav Jung. Após analisar a concepção junguiana e de Erich Fromm, outro psicanalista, que trabalhou com o conceito de inconsciente social (equivalente ao de inconsciente coletivo), o autor realiza uma crítica à posição destes dois autores e apresenta uma ressignificação do conceito de inconsciente coletivo a partir da concepção materialista da história. Para fazer isso, rediscute, numa perspectiva marxista, alguns conceitos básicos da psicanálise (inconsciente, sublimação, deslocamento, etc.) e a partir de uma ressignificação de determinados conceitos, aponta para uma nova concepção de inconsciente coletivo e de outros fenômenos psíquicos, realizando a crítica de teses como a da existência de um instinto de morte, expressando a tese de que a agressividade, o ódio, os desequilíbrios psíquicos, não são instintuais e sim produtos da repressão. Ainda avança numa concepção de universo psíquico no qual o excesso de repressão (mais-repressão) gera energia destrutiva (sombra) e construtiva (persona), que se distinguem do inconsciente. Assim, a obra apresenta uma abordagem marxista do inconsciente e do inconsciente coletivo.

Texto da Contracapa:


A psicanálise, através de Freud, realizou a descoberta fundamental do inconsciente. Outras contribuições, de Freud e seus continuadores, foram oferecidas pela psicanálise. Contudo, as limitações teórico-metodológicas e valorativas acompanharam o desenvolvimento da psicanálise e lhe gerou várias limitações. A partir do materialismo histórico é possível superar estes limites e a presente obra objetiva justamente contribuir com esse processo de suplantação da psicanálise. E, nesse contexto, uma ressignificação do inconsciente e do inconsciente coletivo, ao lado de uma nova percepção do universo psíquico do indivíduo, tornam-se necessárias. Assim, partindo da reflexão sobre o inconsciente coletivo e das contribuições psicanalíticas, o presente livro apresenta o projeto de psicanálise social, ou seja, materialista, histórica, proletária, revolucionária, a única psicanálise possível, superando os limites da consciência burguesa.

Para adquirir, clique aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário