Rádio Germinal

RÁDIO GERMINAL, onde a música não é mercadoria; é crítica, qualidade e utopia. Para iniciar clique em seta e para pausar clique em quadrado. Para acessar a Rádio Germinal, clique aqui.

domingo, 10 de junho de 2018

Representações Cotidianas: Teoria e Pesquisa


Sinopse

Representações Cotidianas: teoria e pesquisa é uma coletânea de estudos sobre a teoria e a pesquisa das representações cotidianas organizada por Edmilson Marques. O livro busca avançar para além da ideologia do senso comum e das representações sociais. Encontramos aqui respostas apresentadas por Edmilson Marques sobre o que são as representações cotidianas e a sua sistematização teórica. Maria Angélica Peixoto aborda a ideologia das representações sociais e a teoria das representações cotidianas. Nildo Viana analisa: 1. A distinção entre convicção e opinião; 2. “Aquilo que Marx denominou de 'representações ilusórias' da realidade”, observando as relações entre duas formas elementares de ilusões, o imaginário e a ideologia, e o processo em que uma transforma-se na outra. Cassia Soares, Heitor Pasquim, Luciana Cordeiro e Sheila Lachtim propõem “a construção participativa de material instrucional para jogo educativo e as principais representações cotidianas expostas e transformadas durante a construção do material”, com atenção para as representações cotidianas sobre drogas. Alessandra Cofani, Celia Campos e Heitor Pasquim analisam a concepção de juventude de indivíduos de classes ou frações de classes distintas, enfatizando o consumo de álcool por jovens de diferentes grupos sociais. A coletânea é concluída com um estudo de Cassia Soares, Elda de Oliveira, Leandro Batista e Marco Separavich sobre as representações cotidianas produzidas por “jovens do ensino médio de uma escola pública, no bairro de Guaianazes na periferia de São Paulo”, sobre a “periferia, a mídia, a juventude, os rolezinhos, a juventude e o consumo de drogas”.

Detalhes do produto

Editora: EDITORA CRV
ISBN:978-85-444-2347-9
DOI: 10.24824/978854442347.9
Ano de edição: 2018
Distribuidora: EDITORA CRV
Número de páginas: 122
Formato do Livro: 16x23 cm
Número da edição:1

Clique aqui para ter acesso ao sumário.

Autores

EDMILSON MARQUES
Graduado em História e especialista em Ciência Política pela Universidade Estadual de Goiás, mestre em História pela Universidade Federal de Goiás e doutor em História pela Universidade Federal de Goiás. Realizou o estágio de doutorado em 2011 na Universidade de Valência/Espanha, e o pós-doutorado em 2015 pelo programa de sociologia da Universidade Federal de Goiás com uma pesquisa sobre o rádio em Goiás no período do Regime Militar, tomando como referencial teórico-metodológico a teoria das representações cotidianas. Atualmente atua como professor efetivo da Universidade Estadual de Goiás, câmpus de Uruaçu. Integra o corpo docente do mestrado em Ciências da Religião da PUC, oferecido pela FASEM, em Uruaçu-Goiás. É autor do livro Estado, Luta de Classes e Autogestão Social e Histórias em Quadrinhos: valores e luta cultural.
ALESSANDRA COFANI
Enfermeira, mestre em Cuidado em Saúde pelo Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. 
CASSIA BALDINI SOARES
Enfermeira, Mestre em Saúde Pública e Doutora em Educação. Professora Associada do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva, da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. É líder do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para a intervenção em saúde coletiva”, bolsista produtividade em pesquisa e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária em Saúde no Sistema Único de Saúde. Pesquisa o tema da juventude na atualidade, especialmente no que se refere ao consumo de drogas, buscando aprimorar conhecimentos relativos à educação nessa área. Vem se dedicando também ao tema da formação e do trabalho em enfermagem e em saúde coletiva. Participa do grupo de metodologia de revisão de escopo, do Instituto Joanna Briggs. Tem sido um desafio desenvolver a pesquisa-ação emancipatória, metodologia potente para compreender necessidades em saúde e para arquitetar e implementar projetos e práticas políticas em saúde. 
CELIA MARIA SIVALLI CAMPOS
Bacharelado em enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas, especialização em enfermagem em saúde mental pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da USP (EERP), mestrado em Enfermagem em Saúde Coletiva pela Escola de Enfermagem da USP (EE) e doutorado em Enfermagem pelo Programa Interunidades (EE/EERP). Professora Associada no Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da EEUSP, vice coordenadora do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”áreas de interesse de atividades de ensino, pesquisa e extensão: necessidades em saúde e juventude. 
ELDA DE OLIVEIRA
Enfermeira – doutora em Ciências Universidade de São Paulo – USP; faz parte do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”. Tem experiência na área de Enfermagem em saúde coletiva com ênfase em saúde mental, educação e comunicação social, consumo de drogas. 
HEITOR MARTINS PASQUIM
Professor de educação física, mestre e doutor em ciências pela Universidade de São Paulo – USP. Membro do conselho editorial da revista Corpus et Scientia. Membro do comitê científico do grupo de trabalho temático “Atividade física e saúde” do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte – CBCE. Professor da Faculdade de Educação Física e Dança da Universidade Federal de Goiás – UFG. Faz parte do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”. Pesquisa o tema do lazer no campo da saúde, principalmente na área de saúde mental, drogas e juventude. 
LEANDRO LEONARDO BATISTA
É Professor Doutor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, no Departamento de Publicidade, Propaganda e Relações Públicas desde 1997. Recebeu os títulos de Mestre e Doutor da University of North Carolina em Chapel Hill, North Carolina, EUA em 1990 e 1996, respectivamente. Professor Leandro tem trabalhos apresentados em conferências de porte internacional nos Estados Unidos e Europa, bem como publicações em estudos de políticas públicas e efeitos da mídia. Suas principais áreas de interesse são teoria e métodos de pesquisa em comunicação, processos de decisão, percepção de riscos, comunicação de riscos e neurociência aplicada à propaganda. Atualmente coordena o grupo de pesquisa e laboratório 4C: Centro de Ciências Cognitvas e Comunicação, onde são desenvolvidas pesquisas experimentais com base na relação entre psicologia cognitiva e comunicações com uso de medidores fisológicos como rastreador de olhos e medidas galvânicas da pele. 
LUCIANA CORDEIRO
Terapeuta ocupacional, mestre e doutora em Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo. Tem experiência com o desenvolvimento de pesquisa-ação com trabalhadores da saúde e com docência na graduação e pós graduação. Atuou na clínica de saúde mental como terapeuta ocupacional e como supervisora de equipe de CAPS. 
MARCO ANTÔNIO SEPARAVICH
Sociólogo, Mestre e Doutor em Saúde Coletiva pela Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é pós-doutorando em Saúde Coletiva, Departamento de Medicina Preventiva, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo. Atua na Saúde Coletiva, na área de Ciências Sociais e Saúde, com experiência em investigações na interface de Comunicação e saúde, Ciências Sociais e adoecimentos crônicos, Políticas Públicas de Saúde e gênero. 
MARIA ANGÉLICA PEIXOTO
Professora do Instituto Federal de Goiás. Doutora em Sociologia pela UFG e pesquisadora dos seguintes temas: representações cotidianas, drogas e violência, violência contra a mulher, tráfico internacional de mulheres, entre outros. 
NILDO VIANA
Professor da Faculdade de Ciências Sociais e Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Goiás; Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília e Pós-Doutor pela Universidade de São Paulo; 
SHEILA APARECIDA FERREIRA LACHTIM
Enfermeira, mestre e doutora em ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo – USP. Faz parte do grupo de pesquisa “Fortalecimento e desgaste no trabalho e na vida: bases para intervenção em saúde coletiva”. Pesquisa o tema do lazer no campo da saúde, principalmente na área de saúde mental, drogas e juventude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário