Rádio Germinal

RÁDIO GERMINAL, onde a música não é mercadoria; é crítica, qualidade e utopia. Para iniciar clique em seta e para pausar clique em quadrado. Para acessar a Rádio Germinal, clique aqui.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Lançamento do Livro "Gestão operária na revolução portuguesa"

DADOS DO LIVRO:

PINTO, Tales S. Gestão Operária e Revolução Portuguesa. Goiânia: Editora da UFG, 2016.

"Gestão operária na revolução portuguesa" é o título do livro que a Editora da UFG acaba de lançar.  Trata-se da versão da dissertação de mestrado de Tales dos Santos Pinto, defendida no PPGH, e que em 2015 foi um dos trabalhos vencedores do Prêmio Expressão Acadêmica da EdUFG. 


Auto-organização e hetero-organização. Os dois conceitos presentes no subtítulo do livro expressam bem as tensões presentes na Revolução Portuguesa (1974-1975) – a também chamada Revolução dos Cravos –, no que se refere à organização dos trabalhadores urbanos das pequenas e médias empresas em seus locais de trabalho. Em um dos pólos da tensão, temos a erupção autônoma de comissões de trabalhadores nas empresas, que da auto-organização das lutas passaram à auto-organização da produção em diversas empresas. Tal prática de gestão operária teve de enfrentar diversas pressões, tanto dos capitalistas privados quanto do Estado. No outro polo, a hetero-organização de algumas empresas, ao se sujeitarem principalmente ao cooperativismo, como forma de adequação a exigências institucionais para a continuidade de suas atividades produtivas. Nas páginas deste livro é possível perceber que, ao engendrar suas lutas, os trabalhadores desenvolveram uma consciência de classe a partir da prática – inicialmente espontânea, e não decorrente das difusões ideológicas partidárias –, identificando seus inimigos, pautando-se por uma organização mais igualitária da produção, constituindo uma nova disciplina de trabalho e alterando as relações de poder no interior das empresas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário