quinta-feira, 30 de abril de 2015

Lançamento do livro "Juventude e Sociedade - Ensaios sobre a Condição Juvenil"


Acima convite para o lançamento do livro "Juventude e Sociedade - Ensaios sobre a Condição Juvenil", na Livraria Saraiva, Flamboyant Shopping Center.

VIANA, Nildo. Juventude e Sociedade. Ensaios sobre a Condição Juvenil. São Paulo: Giostri, 2015.

Abaixo um trecho do prefácio de Luiz Antônio Groppo:

PREFÁCIO



Nildo Viana é professor da Universidade Federal de Goiás, onde trabalha há vários anos ensinando e pesquisando sociologia, com incansável dedicação ao pensar e fazer ciências sociais com crítica e rigor. Destaca-se na vasta obra de Viana, além de diversas incursões à teoria social, bem como a temas como indústria cultural, educação e psicanálise, entre outros, a reflexão sociológica sobre a juventude.
Este seu livro, “Juventude e sociedade”, é belo exemplo desta reflexão que desde há alguns anos Viana se dedica. Pude conhecê-la desde há alguns anos, quando participamos, em 2003, na Casa da Juventude Pe. Burnier, em sua Goiânia, de um Seminário promovido pela casa sobre juventude. Lembro-me do pulsar daquela casa que acolheu então tantos e tão diversos jovens, bem como das conversas que tivemos com estes jovens e outros colegas, como o próprio Nildo Viana, que tratou sobre juventude e violência com grande competência.
O autor sempre foi fiel ao referencial teórico-metodológico do marxismo, interpretado de modo não determinista, bem como vinculado ético-politicamente ao socialismo dos conselhos, tendência do marxismo que os tempos obscuros do stalinismo tentaram jogar aos porões do pensamento. Na sua adoção do marxismo, Viana afasta-se de uma posição comum nesta corrente diante de aspectos da estrutural social que não derivam imediatamente das classes economicamente determinadas – como a juventude. Comumente, o marxismo tem rejeitado a temática da juventude como mero engodo ideológico. Outras vezes, reconhece-a apenas como aspecto secundário. Esta não é a posição de Viana, nem da sua criativa aplicação do pensamento marxista para entender as complexas relações entre sociedade de classes e estrutura etária no mundo capitalista, o nosso mundo.
Este uso criativo do pensamento de Marx, longe do determinismo economicista de muitos marxismos, que o permite compreender a centralidade da categoria juventude no mundo moderno e contemporâneo, é o primeiro mérito deste livro. Mas a obra tem uma série de outras qualidades.

A segunda qualidade que gostaria de destacar, é a sua preocupação constante em definir com clareza os conceitos empregados. Temos em mãos, é bom frisar, uma obra largamente teórica, preocupada em relacionar conceitos e processos sociais, trazendo dados concretos e processos históricos como comprovação ou exemplos. Esta clareza, neste sentido, é algo fundamental para uma obra deste teor. É algo que o autor conseguiu realizar com maestria. Um a um, conforme os capítulos apresentam-nos, os conceitos vão sendo definidos inequivocadamente, desde a matriz teórico-metodológica escolhida, o marxismo, mas dialogando com outras correntes próximas ou com possibilidade de relações, como o existencialismo de Sartre e a teoria das gerações de Mannheim. Por exemplo, já em seu primeiro capítulo, são definidas com clareza termos como cultura, memória, poder, identidade e, certamente, juventude".



Um comentário: